Montar um jardim de inverno é uma experiência muito agradável, pois trabalhar com o paisagismo da própria casa, ou seja, lidar com a terra, com a vegetação e até com os detalhes desse cantinho charmoso, traz muito entusiasmo e gratificação.

Mas, para que tudo dê certo, é preciso não esquecer que estamos lidando com seres vivos e que devemos criar um ambiente que permita que essas plantas tão delicadas permaneçam muito saudáveis. Essa postura garantirá que a família desfrute de um jardim de inverno extremamente belo.

Nos tópicos a seguir, mostraremos um passo a passo tão simples que será capaz de fazer qualquer um desejar possuir um jardim de inverno. Quando bem planejado, este cantinho se torna multifuncional, pois embeleza a casa, purifica o ar, alegra o ambiente e ainda permite uma gostosa interação das pessoas com a natureza, ainda que dentro de casa.

Não é fantástico? Antes de colocar as mãos à obra, acompanhe várias ideias e escolha a ideal pra você!

Passo 1 — O local para montar um jardim de inverno

Embaixo da escada

Se você mora em um sobrado, um ótimo lugar é embaixo da escada, já que seu jardim poderá ser apreciado tanto por quem sobe ou desce os degraus quanto por quem está no piso térreo. Além disso, a área sob a escada costuma ser subestimada e sem muita utilidade, tornando-a o local ideal para um jardim inverno.

Em varandas e sacadas

Em apartamentos e sobrados situados em regiões mais frias, uma boa opção é fechar toda a varanda ou a sacada com janelas e portas de vidro. Assim, o espaço será mais aconchegante por estar protegido de chuva, do frio e das ventanias, desde que a janela que dá para fora fique fechada. Em dias com temperatura amena, as janelas podem ficar abertas ou não.

Em salas ou corredores

Em salas em “L”, nas amplas ou mesmo em corredores de dimensões largas, é possível montar um jardim de inverno muito bonito. Aqui, cabe uma sugestão: se as dimensões do ambiente forem significativamente grandes, uma dica é construir o jardim de inverno em toda a extensão da parede maior. O efeito é realmente impactante.

Mas se o contrário também for verdadeiro, ou seja, em salas muito pequenas é preciso aproveitar todo o espaço reservado para a vegetação, inclusive o aéreo. Há duas possibilidades: um jardim isolado com porta de vidro e boa iluminação terá um destaque especial.

Já um jardim integrado à sala e sem barreiras permitirá maior interação com o ambiente. Se optar pela segunda opção, lembre-se de que o estilo do jardim deve acompanhar o restante da decoração do ambiente.

Em áreas externas cobertas

Quem possui quintal grande pode fechar completamente, com vidro, uma determinada área com o propósito de criar o jardim junto ao quintal. Neste caso, se as portas de vidro abrirem, este jardim pode servir tanto como jardim tradicional (nos dias mais quentes) quanto de inverno, nos dias frios ou chuvosos.

Passo 2 — A iluminação ideal para um jardim dentro de casa

Seja qual for a área interna escolhida, é necessário que haja, no teto ou em uma das laterais, alguma fonte de iluminação externa, ainda que as plantas escolhidas prefiram sombra. Lembre-se, que plantas são seres vivos e precisam fazer fotossíntese (com a luz solar) para se alimentarem.

Portanto, se o local tiver pouca iluminação, é fundamental optar por folhagens e flores que necessitem de pouca luz. Para saber quais são estas plantas, leia o passo abaixo.

Passo 3 — As plantas mais adequadas ao jardim de inverno

Se o passo 2 definiu o tipo de vegetação a ser colocada no jardim interno — já que há plantas que precisam de sol pleno, meia sombra e sombra —, o passo 3 mostra quais são estas plantas.

Em geral, um jardim de inverno pede plantas resistentes e que se adaptem a ambientes internos como escritórios e salas. Escolha as que harmonizem entre si e com o ambiente, lembrando que em espaços muito limitados até a parede pode — e deve — ser usada. Uma dica é fazer um contemporâneo jardim vertical preenchendo toda a parede.

Para planejar o paisagismo do seu cantinho dentro de casa aposte nas plantas que preferem sombra:

  • Samambaia;
  • Lírio da Paz;
  • Antúrio;
  • Espada de São Jorge;
  • Bromélias de sombra;
  • Filodendro Xanadu;
  • Margarida Inglesa;
  • Ráfia;
  • Calêndula;
  • Heléboro;
  • Cactos;
  • Boca de Leão;
  • Dracena;
  • Couve ornamental;
  • Amor-perfeito;
  • Zamioculca;
  • Pau d’água;
  • Echeveria;
  • Pleomele;
  • Babosa;
  • Chamaedorea;
  • Yucca, Violeta (meia sombra);
  • todos tipos de Suculentas;
  • Comigo-ninguém-pode (cuidado com crianças e animais domésticos, pois é venenosa).

Passo 4 — O local ideal para o plantio da vegetação

A menos que a casa tenha sido construída com um espaço destinado ao jardim de inverno, com chão de terra, o mais prático é usar vasos e jardineiras para colocar as plantas. Antes de comprá-los, escolha um estilo e se atenha a ele.

Por exemplo, se optar por vasos rústicos de barro, varie apenas nos tons e pontue com um ou dois vasos brancos, também rústicos.

Passo 5 — A escolha decoração do chão

Um dos elementos que mais destaca e define o estilo do jardim de inverno é a decoração do chão. As opções são: cascas de pino, pedriscos e pedras brancas (disponíveis em diversos tamanhos), pedras grandes, argila expandida, areia branca e colorida (ou ambas alternadas), além de bambus e decks de madeira.

Escolha dois ou três destes elementos e defina qual deles vai cercar a planta e qual fará parte do contorno que delimita jardim e o restante do ambiente ou o caminho para caminhar no local, caso a opção seja por um jardim interativo.

Passo 6 — A definição da decoração da parede

Há várias possibilidades para adornar a parede do seu jardim de inverno. Entre elas estão: pedras naturais ou de imitação, decks de madeira (eles podem ser uma continuação do deck colocado no chão, dando sensação de amplitude ao ambiente), trepadeiras cobrindo toda a parede, além de telas de sisal ou de barbantes entrelaçados entre si.

Em todas as opções citadas, há a possibilidade de deixar uma parede apenas com uma pintura tradicional. Mas também dá pra variar com chapiscos ou grafiato, ou mesmo usando uma cor que se destaca no ambiente. Tal parede pode, ainda, combinar ou contrastar com os tons da decoração da sala ou do ambiente em que o jardim está inserido. Leia mais sobre as cores da decoração a seguir.

Passo 7 — A escolha das cores do jardim de inverno

O verde é o grande protagonista de qualquer jardim de inverno certo? Dessa forma, o restante da paleta de cores deve combinar ou contrastar com o verde. No entanto, é possível combinar tais cores com o tom da decoração do ambiente.

Em uma sala com uma das paredes no tom lilás, você pode pintar uma das paredes (ou os vasos) na mesma cor e mesma nuance ou em um tom mais claro ou mais escuro, chegando ao roxo, por exemplo.

Passo 8 — A definição dos móveis do jardim

Em jardim interativos (com espaço para caminhar e local para sentar), os móveis são imprescindíveis. As opções são: bancos, cadeiras, namoradeiras e até balanços. O que vai definir a escolha é o tamanho do espaço que se tem.

Em jardins pequenos, se houver muretas que cercam o jardim, elas podem servir de banquinho para se sentar. Futons e pequenas almofadas podem deixar o assento improvisado aconchegante.

Passo 9 — Outros elementos que podem compor o jardim

Pessoas criativas não terão problemas em escolher itens para personalizar o próprio jardim de inverno. Alguns dos elementos mais usados são: correntes que descem do teto e são fixas no chão, fontes de água, peças decorativas de cerâmica e iluminação noturna, sendo que neste último componente há várias possibilidades que se adéquam ao estilo do ambiente.

Com essas dicas, qualquer um será capaz de criar seu próprio jardim de inverno, simples e muito bonito. Mas se desejar instalar portas de vidro, será preciso chamar um profissional especializado.

Agora que você está preparado para planejar e montar um jardim de inverno que tal compartilhar estas ideias com seus amigos e curtir a nossa página do Facebook? Continue acompanhando nosso blog!

Share: