Ter um cantinho para chamar de seu é algo importante para qualquer pessoa, e para as crianças não é diferente. O quarto dos pequenos é um espaço que, na maioria das vezes, vai muito além do descanso, se tornando também um ambiente de lazer, aprendizado e relaxamento. Além disso, ter um quarto também é sinônimo de autonomia e privacidade, coisas que devem ser ensinadas desde cedo.

É nesse espaço que seu filho passará grande parte de seu tempo livre e, por isso, é indispensável que cada detalhe seja bem pensado para que ele se sinta feliz e confortável. O quarto infantil é muito mais que um cômodo da casa: é um espaço que influenciará diretamente no desenvolvimento da criança.

Mas, diante de tantas opções e referências de decoração de quartos, pode ficar difícil saber o que você deve considerar na hora de montar o cantinho dos seus filhos, não é verdade? Por essa razão, criamos esse superguia com todas as dicas práticas para você não errar nas escolhas na hora de decorar um quarto infantil — dos móveis aos objetos decorativos, passando pelas cores e organização.

Continue acompanhando o nosso post de hoje e tenha uma ótima leitura!

O planejamento do quarto infantil

Antes de mais nada, o primeiro passo para escolher a decoração do quarto do seu filho é fazer um bom planejamento. Alguns pontos devem ser levados em consideração, como a faixa etária, a personalidade do seu filho, a funcionalidade do quarto e a quantidade de espaço disponível.

Quartos de bebês e crianças bem pequenas são mais fáceis de planejar e decorar, visto que tudo se baseará, basicamente, no gosto dos pais. No entanto, para crianças maiores — a partir de 6 anos, por exemplo —, o ideal é permitir que elas façam parte das escolhas e possam opinar sobre a decoração do ambiente.

Caso o cômodo seja compartilhado por dois ou mais irmãos, poderá haver desavenças de opinião — especialmente entre meninas e meninos. Nesse caso, é interessante tentar um acordo ou “dividir” os espaços.

E falando em meninas e meninos, é importante lembrar que o gênero da criança não precisa ser decisivo na hora da escolha da decoração. Foi-se o tempo em que se dividiam meninos e meninas entre rosa e azul — afinal, as cores não têm gênero, não é mesmo?

O que deve ser levado em conta é a personalidade da criança. Seu filho é mais calmo ou mais agitado? Gosta de se mexer bastante ou prefere brincadeiras mais tranquilas? A decoração deve refletir a personalidade dos pequenos e, ao mesmo tempo, equilibrá-la. Crianças muito agitadas, por exemplo, podem precisar de um ambiente mais clean e calmo para conseguir descansar e se concentrar melhor.

Outro ponto importante é o tamanho do cômodo em que será instalado o quarto da criança. Esse é um fator decisivo na escolha dos móveis e até mesmo na funcionalidade do ambiente, caso ele vá ser usado não apenas para descanso, mas também como área de brincar e estudos.

Para que tudo saia conforme o planejado e você não tenha dores de cabeça durante o processo, o ideal é contar com a ajuda de um profissional de planejamento de interiores, que saberá te indicar a melhor maneira de dispor a mobília e algumas sugestões bem funcionais para um quarto infantil.

Quarto clean e calmo
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

 

 

As cores certas para alegrar o ambiente

Após o planejamento, é a hora de escolher a paleta de cores ideal para decorar um quarto infantil. As cores da decoração têm grande influência na estética do cômodo — como a impressão de amplidão e a iluminação — e também no estado de espírito da criança.

Para decorar quarto de bebê, por exemplo, o indicado é usar tons pastéis e mais neutros, de forma que o ambiente fique calmo e tranquilo. E como dissemos anteriormente, não se prenda aos estereótipos! Existem lindas cores para compor o quarto fugindo do óbvio azul-para-meninos e rosa-para-meninas.

A cor amarela, por exemplo, remete à alegria e à concentração; o verde é inspirador e harmonioso; o rosa-claro e o lilás remetem à delicadeza, enquanto o pink, assim como o vermelho, é estimulante e torna o ambiente mais vívido; o branco representa tranquilidade e pureza; o azul, por sua vez, remete à serenidade.

O ideal é optar por cores mais neutras e claras nas paredes — que contribuem para a iluminação do ambiente — e deixar os tons mais vivos para os itens decorativos. Isso facilitará, inclusive, na hora de redecorar o ambiente depois de algum tempo.

Os móveis certos para compor o local

Alguns móveis são indispensáveis em um quarto: uma cama confortável ou berço, um guarda-roupas espaçoso, um troca-fraldas e uma poltrona de amamentação no caso de bebês e baús para armazenar brinquedos.

Além desses itens essenciais, o quarto infantil também pode contar com prateleiras, nichos e estantes, cômodas, escrivaninhas e pufes, por exemplo — tudo dependerá do planejamento e espaço disponível no ambiente.

A disposição dos móveis no cômodo também é um detalhe importante na hora de decorar um quarto infantil. Segundo o Feng Shui, por exemplo, a cama em que a criança dorme não deve ter os pés voltados para a porta ou prateleiras sobre ela. No caso de escrivaninha para estudos, o ideal é deixá-la o mais longe possível da cama.

A segurança dos pequenos também deve ser levada em consideração na escolha dos móveis e composição do ambiente. Evite objetos com partes em vidro, por exemplo, e com quinas. Opte por mesas, armários e cômodas com extremidades arredondadas.

Os beliches também devem ser evitados, tanto para prevenir acidentes quanto por impedirem uma visão ampla do quarto. Caso o quarto seja para dois e não haja espaço para duas camas individuais, a melhor opção é a bicama.

A organização do quarto infantil

Quem tem filhos pequenos bem sabe que, quando o assunto é organização, os pequenos costumam ser mestres na arte da bagunça! Manter o quarto arrumado pode ser um grande desafio para os pais, mas, ao mesmo tempo, é uma boa oportunidade de ensinar às crianças sobre a importância de preservar seus pertences e o ambiente bem cuidado, assim como bons métodos de organização.

Para facilitar essa missão, conte com móveis funcionais para armazenar brinquedos, livros, e material escolar, como baús, gaveteiros, cestos e caixas organizadoras.

Os itens de decoração

Antes de escolher os itens de decoração, você já deve ter em mente a paleta de cores que será usada no ambiente e o tema do quarto, no caso de uma decoração temática — como fundo do mar, flores, bichos da selva etc.

A partir disso é que serão escolhidos os objetos para decorar um quarto infantil. Para dar mais alegria ao ambiente, uma boa pedida é usar adesivos especiais ou papel de parede. Quadros e posters emoldurados também dão um toque especial. E que tal usar a criatividade e emoldurar alguns desenhos feitos pela própria criança? Seus pequenos ficarão cheios de orgulho!

Alguns itens de decoração, além de enfeitarem o ambiente, também são práticos e úteis no dia a dia, como é o caso das roupas de cama, abajures e luminárias, cortinas e objetos funcionais — como os organizadores citados no tópico anterior.

Uma estante com livros, além de incentivar o bom hábito da leitura, também fica bem legal na decoração de um quarto para crianças.

O uso de brinquedos na decoração

Os brinquedos preferidos do seu filho podem se tornar bons aliados para dar um toque mais divertido na decoração do quarto. Pelúcias fazem uma linda composição com almofadas nas camas, enquanto os bonecos dos personagens favoritos podem ser organizados em nichos ou prateleiras na parede — de forma que a criança possa alcançá-los, é claro. Afinal de contas, brinquedos foram feitos para brincar!

Se seu filho é um fã de quebra-cabeças, por exemplo, uma ideia bacana é emoldurar os que ele mais gosta e colocá-los na parede. Certamente, seu pequeno ficará feliz em mostrar os seus feitos para os amigos e família.

A necessidade de espaço livre

Mesmo que você tenha um cômodo grande e espaçoso disponível para o quarto infantil, é comum que, ao pensar em tudo o que você gostaria de colocar no quarto, acabe faltando espaço no fim das contas.

Porém, por mais funcional que seja o ambiente, é preciso deixar algum espaço livre para que a criança possa brincar e até mesmo para facilitar a organização do ambiente. Por isso, na hora do planejamento, limite as “funções” do ambiente. Se sua casa já tem um quarto de estudos ou uma sala de brinquedos, por exemplo, não será necessário incluir essas funções no quarto infantil.

Caso o ambiente tenha que ser multifuncional, o ideal é dividir o espaço para que cada cantinho tenha sua função — a cama para descanso em uma parede, o cantinho de estudos em outra e o baú de brinquedos do outro lado, por exemplo.

A importância da qualidade dos itens

Por último, mas não menos importante, é preciso ficar atento à qualidade dos móveis e itens de decoração adquiridos. Nessa hora, vale a pena investir em marcas que são referência no mercado, tanto em relação à durabilidade quanto ao design e bom material das peças.

O ideal é evitar compras virtuais, por exemplo, a não ser que você saiba da confiabilidade da marca. Caso contrário, você poderá receber itens com a qualidade muito inferior ao que você pensou ou até mesmo com as cores bem diferentes das fotos do site.

No caso de roupas de cama, almofadas e cortinas, invista em bons tecidos, para garantir o conforto para os seus pequenos.

Já imaginou decorar um quarto infantil de forma exclusiva, exatamente do jeito que você sonhou? Que tal apostar em móveis planejados e personalizados? Algumas marcas, além de oferecerem as melhores opções em mobiliário planejado, também contam com profissionais a disposição para te ajudar, dispensando a contratação de decoradores ou arquitetos para o projeto.

Quarto organizado e espaços
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

10 erros que você não pode cometer

Até esse momento, mostramos a você algumas dicas do que fazer na decoração do quarto infantil, desde a escolha das cores à disposição dos móveis e outros detalhes. Agora, você vai conhecer os dez erros mais comuns a serem evitados no momento de decorar o espaço dos pequenos. Confira abaixo:

1. Entulhar o quarto

Entulhar o ambiente com muitos móveis e objetos decorativos é um erro comum na decoração — não apenas de quartos infantis! Por esse motivo, é importante saber selecionar os itens essenciais e aqueles dos quais você gostou mais, mesmo que algumas coisas legais tenham que ficar de fora.

Lembre-se de que o quarto é, acima de tudo, um ambiente de descanso e precisa transmitir tranquilidade para a criança. Além disso, no dia a dia, surgirão ainda mais objetos que tendem a ficar espalhados pelo cômodo — como brinquedos e material escolar, por exemplo —, fazendo com que o quarto fique ainda mais entulhado.

2. Optar por cores fortes e escuras

Como dissemos, é preciso ter muito cuidado na hora da escolha das cores do quarto da criança. As cores muito vivas e fortes, como o laranja e o vermelho por exemplo, podem causar excitação e deixar os pequenos muito agitados, o que prejudicará bastante na hora de dormir.

Caso vocês realmente queiram usar cores fortes, o ideal é que elas estejam presentes nos objetos decorativos, evitando usá-las nas paredes.

A mesma regra vale para as cores muito escuras e fechadas: nas paredes, elas tendem a pesar o ambiente e prejudicam a iluminação, além de dar a impressão de que o cômodo é menor.

3. Criar um ambiente muito sério

Por mais que você tenha ficado apaixonada pela decoração clássica que viu em algum catálogo, é preciso pensar duas vezes antes de fazer essa escolha. Lembre-se de que se trata de um quarto infantil, e um ambiente muito sério pode não agradar aos pequenos.

Mesmo que a decoração seja mais clean, o ideal é que a decoração conte com toques lúdicos e divertidos, que agucem a imaginação da criança e faça com que ela se sinta à vontade naquele espaço.

4. Transformar o quarto em “depósito de brinquedos”

Falamos anteriormente sobre como usar brinquedos na decoração de um quarto infantil. Essa é uma forma bacana de decorar com criatividade e, ainda por cima, dar um toque de personalidade ao ambiente, deixando-o com “a cara” da criança.

No entanto, é preciso ter moderação e saber escolher quais brinquedos ficarão expostos e quais devem ser guardados. Deixar todos os itens à vista dá a impressão de desorganização e podem atrapalhar não apenas na hora da limpeza, mas também na concentração — caso o ambiente também seja usado para estudos, por exemplo.

Opte apenas pelos brinquedos que mais combinam com a decoração ou aquele com os quais seu filho brinca mais. O resto deve ser mantido em armários, baús ou caixas organizadoras.

5. Escolher tudo sem a opinião da criança

Pense bem: quem é a pessoa que passará mais tempo naquele cômodo? O seu filho, é claro. Por essa razão, é importante que ele se sinta acolhido e confortável naquele ambiente.

Na hora de escolher a decoração, é importante levar em conta a opinião da criança e suas preferências, para que ela veja um pouco de sua própria personalidade na decoração do seu cantinho.

Se seu filho já tem idade o suficiente para ajudar, deixe que ele opine sobre a paleta de cores ou o tema do quarto, por exemplo. Além de fazer com que ele se sinta importante e parte do processo, isso garante que o pequeno ficará à vontade no quarto novo.

6. Levar em conta apenas a opinião da criança

Da mesma maneira que existem pais que “dominam” toda a decoração do quarto infantil, existem aqueles que simplesmente deixam todas as escolhas nas mãos dos pequenos — o que pode tornar a decoração do ambiente uma grande bagunça!

Como dissemos no tópico anterior, é importante que a criança participe das escolhas, mas as decisões não devem ser tomadas exclusivamente por elas. Uma boa maneira de tomar as decisões em conjunto é separar previamente algumas possibilidades de cores, temas e objetos decorativos, por exemplo, e deixar que a criança escolha o que mais lhe agrada dentre as opções.

7. Decorar o quarto com os personagens “da moda”

Existem duas características comuns a quase todas as crianças: a paixão por personagens de seus filmes ou desenhos favoritos e a velocidade com que mudam de ídolos.

Se hoje sua filha é alucinada pela Galinha Pintadinha, dentro de alguns meses outro personagem da moda ganhará o coração dela. Então, o que fazer com toda aquela decoração temática, as paredes pintadas com personagens do desenho etc.?

Para que você não corra o risco de ter o trabalho de redecorar todo o quarto da criança a cada seis meses ou um ano — ou o quanto durar a “paixão” —, aposte em uma decoração mais neutra.

Caso queira incluir os personagens favoritos, busque objetos de fácil substituição, como quadros na parede, roupas de cama e os brinquedos que seu filho já tem. Dessa forma, fica fácil substituir os itens quando surgir o novo filme da moda.

8. Exagerar nos bichos de pelúcia e outros itens difíceis de limpar

Eis outro erro clássico, cometido principalmente na decoração de quartos de crianças menores ou meninas. Os bichos de pelúcia são amados pelos pequenos e ficam lindos em nichos, prateleiras ou mesmo sobre a cama. No entanto, esse é um material que tende a acumular poeira e ácaros, o que pode causar alergias respiratórias, além de ser de difícil higienização.

Alguns objetos muito pequenos, como bibelôs e bonecos de porcelana, também tendem a juntar muita sujeira e costumam ser bem chatos de limpar. Então, lembre-se desse detalhe na hora de escolher os itens decorativos.

9. Escolher mobília inacessível para a criança

Já mencionamos isso anteriormente, mas não custa repetir: o quarto será da criança e, por isso, deve ser funcional para ela. Principalmente para crianças maiores, que já se vestem sozinhas, arrumam o próprio quarto e usam o ambiente para estudar, é importante que a mobília seja acessível.

De nada adianta colocar uma linda escrivaninha e uma cadeira moderna, mas que não oferecem ergonomia para o tamanho do seu filho. Armários com prateleiras e gavetas muito altas também podem ser um problema e exigir a ajuda de um adulto sempre que a criança precisar de algo.

Faça com que tudo seja de fácil acesso para eles e, caso haja itens em que eles não devam mexer, o ideal é armazená-los em outro cômodo da casa. Seu filho deve ter a sensação de autonomia e liberdade em seu cantinho especial.

 

10. TV e computador no quarto

Nos dias de hoje, é praticamente impossível fazer com que os pequenos fiquem longe das telas de computadores, tablets, TVs e videogames — e, na dose certa, a tecnologia pode ser de grande ajuda no desenvolvimento cognitivo e criativo da criança, além de ser um passatempo divertido.

No entanto, o uso desses dispositivos deve ser sempre controlado pelos pais, pois o excesso pode fazer muito mal para os pequenos. Uma boa forma de controlar o acesso do seu filho aos dispositivos e evitar que ele passe horas grudado nas telas é retirar esses itens do quarto infantil.

O ideal é que haja um cômodo da casa especificamente planejado para o uso de computador ou para ver TV, deixando o espaço do quarto mais calmo e livre para o descanso.

Ao longo desse post, buscamos mostrar a você, de forma simples e prática, como acertar na decoração do quarto infantil — um espaço extremamente importante no desenvolvimento dos pequenos!

Nesse guia, além de descobrir como dar os primeiros passos no planejamento do quarto infantil, você aprendeu um pouco mais sobre o uso das cores certas e a iluminação ideal, como escolher a mobília e os itens de decoração e como aproveitar os brinquedos para criar um ambiente divertido.

Além disso, falamos sobre a organização do ambiente e a importância da qualidade dos móveis escolhidos. Finalmente, você viu quais são os principais erros a serem evitados na decoração.

Esperamos que o nosso guia prático tenha ajudado a tornar a missão de decorar um quarto infantil ainda mais fácil! Compartilhe esse post em suas redes sociais e faça com que mais pessoas conheçam essas dicas preciosas!

Share: