Até mesmo os pais de primeira viagem sabem que o sono é essencial para garantir a reposição das energias e o crescimento saudável da criança, não é mesmo? O que nem todo mundo sabe, porém, é que um berço ou uma caminha confortável e um travesseiro macio não são os únicos fatores que contribuem para uma boa noite de repouso.

Tão importante quanto esses itens é saber como escolher a cor do quarto para potencializar o descanso do seu filho e extrair o máximo do cômodo no qual, com certeza, ele passará boa parte do tempo. 

E para te ajudar nessa difícil missão, no post de hoje explicaremos como essa escolha é tão importante. Continue lendo e confira 7 dicas que te ajudarão na hora de definir quais cores darão vida às paredes e à mobília do quarto do seu filho!

A importância das cores

Sob o ponto de vista científico, as cores nada mais são do que frequências vibratórias que, quando captadas pelos olhos, estimulam conjuntos de neurônios distintos e provocam diferentes tipos de sensações.

Nesse sentido, há cores que acalmam e cores que agitam, que escurecem ou favorecem a iluminação do ambiente, que transmitem segurança ou incerteza. Há até cores que despertam o apetite — já parou para pensar por que a maior parte dos restaurantes fast food apelam para as cores vermelho, laranja e amarelo? Certamente não é à toa…

O vermelho, por exemplo, é uma cor vibrante e cheia de energia, capaz de estimular o apetite, acelerar os batimentos cardíacos e causar agitação. Já o cinza pode transmitir elegância e sofisticação e, por ser uma cor neutra, é fortemente associado à ausência de emoções. 

O branco, por sua vez, costuma ser associado à paz e à pureza, e favorece a iluminação do ambiente, por refletir todas as demais cores. Usá-lo em excesso, contudo, pode provocar a sensação de isolamento e vazio. Diante de tantas possibilidades, nada mais justo do que tomar cuidado na hora de escolher a cor do quarto do seu filho, certo?

7 dicas para escolher a cor do quarto do seu filho

1. Esqueça os clássicos azul e rosa

Embora muitas mamães e papais ainda associem a cor do quarto do filho ao gênero do bebê, essa distinção entre meninos e meninas já ficou no passado. Hoje, é absolutamente liberado brincar com todas as cores

Quartos de meninas podem, sim, ser azuis, e não há mal nenhum em usar o rosa no quarto dos meninos. Não tenha medo de ousar na hora da decoração — a menos que você verdadeiramente goste dessas cores, não se sinta obrigado a usá-las. 

2. Prefira tons suaves e pastéis

Segundo especialistas, cores mais vibrantes e tons mais escuros podem sobrecarregar o sistema neurológico dos bebês e das crianças e até culminar em problemas do sono. Por isso, prefira sempre tons mais suaves e, de preferência pastéis, os quais se encarregarão de tornar o ambiente mais leve e favorável ao descanso

Mas, para não cair na monotonia, use as cores mais vibrantes e os tons mais escuros em detalhes, para dar um charme especial à decoração

3. Opte por cores neutras em ambientes menores

Cores neutras, como o branco, o cinza e o bege dão amplitude ao ambiente e podem ser boas alternativas para os espaços menores. Outra dica útil é utilizar no teto um tom mais claro do que aquele que foi utilizado nas paredes, o que fará o cômodo parecer mais alto. 

Caso disponha de mais espaço, não hesite em fugir do convencional e deixar as cores mais neutras apenas para os detalhes. Afinal, nada melhor do que permitir que a criança explore outras possibilidades, certo?

4. Escolha cores frias se o que busca é tranquilidade 

Quais sensações você deseja transmitir? Responder a essa pergunta é essencial para que saiba como escolher a cor do quarto do seu filho. Se o que espera é um ambiente capaz de transmitir calma e tranquilidade, optar por tons frios, como o azul, o verde e o violeta pode ser a melhor opção.

Vale ressaltar também que, uma vez definida a cor, é importante se atentar para o tom. Nada de carregar o ambiente com tons muito fortes, hein? 

5. Vá de cores quentes se alegria é o que você deseja

Há mamães e papais que gostam de energia, alegria e muito movimento! Se você é uma dessas pessoas, não tem por que temer as cores quentes. Além de ajudarem a iluminar espaços escuros e demasiadamente fechados, cores como vermelho, amarelo e laranja são excelentes para descontrair o ambiente e torná-lo mais acolhedor.

Aqui, mais uma vez, deve-se atentar para o tom utilizado. Caso opte por um tom mais vibrante, uma boa alternativa é aplicá-lo a apenas a uma parede e escolher uma cor neutra para as demais. Essa estratégia equilibrará as cores do cômodo e evitará que o excesso de estímulos atrapalhe a qualidade do sono.

6. Capriche nas cores dos móveis e dos itens de decoração

Além das paredes, móveis e itens de decoração como quadros e pequenos nichos também são excelentes formas de dar cor e vida ao ambiente! Para que não falte estímulo para as crianças, sobretudo para os bebês, use e abuse de outras cores, dispersando-as pelo ambiente e equilibrando-as sempre que preciso. 

Outros três itens de decoração que também podem ajudar a tornar o quarto do seu filho mais charmoso são as cortinas, luminárias e tapetes! Por ocuparem espaços relativamente grandes, e funcionarem como centros de atenção, esses objetos são excelentes para destacar a sua decoração.

7. Siga a paleta de cores escolhida

Sejam quais forem as cores escolhidas para as paredes, lembre-se de definir uma paleta de cores e segui-la com coerência! Isso evitará que o quarto fique extremamente poluído e acabe perdendo a elegância e o equilíbrio que tanto se busca. 

Para te ajudar nessa tarefa, existem diversas ferramentas online e absolutamente gratuitas disponíveis no mercado. O Adobe Kuler, por exemplo, é uma das mais famosas. O Color Explorer e o Paletto são outras duas possibilidades. 

E então, já sabe como escolher a cor do quarto dos seus filhos? Se gostou das nossas dicas e pretende utilizar alguma delas, não deixe de compartilhar conosco a sua opinião!

Share: