Muitas pessoas têm o desejo de transformar o lar e realizar melhorias, reparos e modificações diversas em seus cômodos e outros espaços. Contudo, saber como planejar uma reforma nem sempre é fácil, especialmente para quem tem uma rotina corrida e precisa se aprofundar no assunto antes de fazer alguma escolha.

Afinal, mudar a aparência do imóvel é um processo que exige organização, pesquisa, cuidados e muita dedicação para evitar contratempos e fazer com o que o resultado seja exatamente como o esperado.

Por essa razão, listamos 5 passos fundamentais para lhe ajudar nessa missão e facilitar o seu planejamento. Acompanhe!

1. Defina quais cômodos precisam de uma reforma

Para saber como planejar uma reforma é preciso, primeiramente, entender quais são as suas reais necessidades. Isso porque muitas pessoas cometem um erro bastante trivial: realizar obras sazonais movidas por impulso ou pelo que é novidade no momento, mas pouco depois cai em desuso.

Clique no banner abaixo e receba gratuitamente nosso guia para saber como contratar um arquiteto para sua obra!

Assim, se decepcionam com o resultado final e entram em um ciclo praticamente sem fim de modificações, reparos e manutenções. É preciso pensar a longo prazo e colocar na balança o que realmente é necessário alterar em seu lar para que você tenha mais conforto, espaço e comodidade.

Por exemplo, a reforma é motivada porque a família crescerá, porque você precisa de um novo cômodo para trabalhar em casa ou porque você deseja ampliar ou mesmo conjugar dois ou mais ambientes?

Anote todas essas questões e converse com os demais envolvidos na reforma. Colha opiniões para ter certeza de que seus investimentos não acarretarão em prejuízos.

2. Faça um cronograma de atividades

Depois de resolver se irá reformar apenas determinados ambientes ou se as obras ocorrerão em toda a residência, é hora de listar seus objetivos. Você pode até achar estranha essa fase, já que — em tese — sabe o que quer, mas acredite: ela é primordial.

Clique no banner abaixo e receba gratuitamente nosso guia completo para decorar e reformar sua cozinha!

Não basta apenas decidir repaginar determinado cômodo, é necessário se atentar a que tipos de alterações serão feitas para que mais à frente você não se arrependa ou precise fazer tudo de novo porque mexeu onde não devia.

Portanto, analise se as modificações serão nas fundações e estrutura da casa — e, nesse caso, se elas podem ser feitas — ou se dizem respeito ao interior, isto é, revestimentos, pintura, alvenaria, instalações, esquadrias, etc.

Uma vez que você tenha todas as atividades que deseja realizar listadas, seja à mão ou em uma planilha, é possível detalhar posteriormente cada uma delas, incluindo desde os custos de material e serviço até o tempo de entrega. Dessa forma, você terá um cronograma de obra que lhe permitirá maior controle sobre o que será feito, e quando ficará pronto, e, também, um registro linear de cada etapa a ser realizada.

Além disso, esse planejamento lhe será útil para preparar um esboço do projeto, que funcionará como base para os profissionais ou empresas especializadas entenderem o que você realmente deseja e deixar sua morada o mais próximo possível do que você considera ideal.

3. Cote profissionais e empresas especializadas

Depois de definir os cômodos a serem reformados e elaborar o cronograma da reforma, você terá uma noção dos profissionais requeridos por sua casa dos sonhos. Essa é uma etapa imprescindível, então toda ajuda é bem-vinda!

Dica: Restauração ou reforma de imóveis? Conheça as diferenças!

Você pode contar com a indicação de amigos que tenham passado por uma situação similar recentemente e que saibam como planejar uma reforma é importante. Eles podem dar ótimas referências, contatos de arquitetos, decoradores e afins para que você se informe e confira os trabalhos realizados anteriormente por esses profissionais.

Mas não deixe que a empolgação fique no caminho: não se afobe, ceda a pressões ou se deixe levar por impulsos. Lembre-se de que a pressa é inimiga da perfeição. Leve o tempo que for necessário para avaliar cada proposta, coletar inspirações e tudo o mais que você achar necessário saber.

Se possível, procure conhecer as equipes com as quais você lidará durante a reforma e converse pessoalmente com os profissionais que fazem parte delas. Esse ponto merece atenção, pois é necessário que haja um diálogo aberto e franco com quem transformará sua morada e colocará seus desejos e vontades em prática, evitando mal-entendidos.

Clique no banner abaixo e receba gratuitamente nosso guia para saber como contratar um arquiteto para sua obra!

4. Estime um orçamento

Você finalizou seu cronograma, tem uma boa ideia de quais são seus objetivos, como o projeto se desenvolverá e quem trabalhará nele. Tudo pronto, certo? Errado! É preciso, ainda, estimar um orçamento. Ele deve ser baseado na compra de materiais, aquisições de produtos e acessórios, contratos de profissionais envolvidos e outras necessidades.

A ideia é que esse cálculo sirva como parâmetro para que a reforma corresponda ao seu investimento e para antecipar gastos com imprevistos, por exemplo. Se você vir que certas alternativas vão doer muito no seu bolso, poderá abrir mão delas antes que a reforma já esteja encaminhada.

Dica: Reforma na casa: saiba como evitar dores de cabeça

5. Estipule o tempo da duração da obra

Cada obra requer um tempo específico para sua realização e, principalmente, para que seja entregue como você deseja. Contudo, esse período pode acabar sendo bastante incômodo para você e sua família, pois aumenta o fluxo de pessoas no imóvel, o espaço de circulação muitas vezes é comprometido e a poeira toma conta de todo o ambiente.

Estimar a duração da reforma permite que você planeje sua rotina de acordo com essa realidade, e também servirá para controlar o serviço de quem está trabalhando nela. Para chegar a uma estimativa de prazos, é fundamental falar com o arquiteto, o decorador ou equipe envolvida no projeto. Juntos, tentem chegar a datas que funcionem para ambos os lados, considerando, inclusive, a possibilidade de atrasos, que são comuns nessas circunstâncias.

E aí, gostou do nosso passo a passo sobre como planejar uma reforma na sua residência? Então não deixe de colocá-lo em prática ao decidir mudar sua morada! Afinal, reformar dá trabalho, quanto a isso não há dúvida, mas reforma não precisa ser sinônimo de estresse, não é mesmo?

Aproveite e veja também nossas dicas para evitar dores de cabeça na reforma de casa e torne essa experiência o mais agradável possível!

Share: